Centro inaugurado em Foz do Iguaçu vai combater crimes de fronteira

0
81

O Ministério da Justiça e Segurança Pública inaugurou hoje (16), em Foz do Iguaçu (PR), o Centro Integrado de Operações de Fronteira (Ciof). Construído com o apoio da empresa binacional Itaipu e do governo do Paraná, o centro é apontado pelo ministério como “estratégico” no enfrentamento ao crime organizado, principalmente na luta contra os ilícitos transfronteiriços, como o tráfico de drogas e armas, o financiamento ao terrorismo e a lavagem de dinheiro.

Além de fortalecer a vigilância em uma das principais áreas de importação e exportação do país, na fronteira com o Paraguai e a Argentina, o Ciof vai coordenar os esforços de investigação e combate ao crime organizado dos vários órgãos participantes, que compartilharão informações mais rapidamente. Os órgãos que participam da iniciativa são: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Nacional de Inteligência, Ministério da Defesa, Unidade de Inteligência Financeira (o antigo Coaf), Receita Federal, Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica internacional e o Departamento Nacional Penitenciário, entre outros.

Sergio Moro, Centro Integrado de Operações de Fronteira,Foz do Iguaçu

Ministro Sergio Moro durante inauguração do Centro Integrado de Operações de Fronteira em Foz do Iguaçu – Rubens Fraulini

A expectativa é de que, a exemplo dos três centros integrados de inteligência de Segurança Pública inaugurados nos últimos meses nas regiões Nordeste, Sul e Norte, e do centro nacional em funcionamento desde agosto, o Ciof permita uma maior integração entre os agentes de segurança dos órgãos participantes e forças de policiamento.

O centro inaugurado hoje ocupará uma área de 600 metros quadrados no Parque Tecnológico de Itaipu, em Foz do Iguaçu. Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, funcionará como uma espécie de escritório de comando e controle para as operações ostensivas, integrando agentes dos órgãos e agências participantes.

“Não é um centro para servir a Foz do Iguaçu, embora, evidentemente, vai trabalhar e melhorar o contexto de segurança pública e Justiça da cidade, mas servirá à segurança do país inteiro já que, muitas vezes, pessoas mal intencionadas e criminosos utilizam a região para passar drogas e armas para o país inteiro”, acrescentou Moro, explicando que o centro integrado de Foz do Iguaçu é um projeto modelo que poderá ser expandido para outras localidades “no futuro”.

Nos vários eventos públicos de que participa, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, tem destacado a importância da integração entre as forças federais, estaduais e municipais. Na última sexta-feira, ao participar da cerimônia de inauguração do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública – Regional Norte (CIISPR-Norte), em Manaus, Moro enfatizou que a associação dos esforços antes isolados permite o compartilhamento de banco de dados, de inteligência, para permitir um diagnóstico mais preciso das necessidades de Justiça e de Segurança Pública locais.

Hoje, em Foz do Iguaçu, Moro explicou que o Ciof é semelhante ao modelo de escritórios norte-americanos de monitoramento e que foi instalado em local estratégico, em razão da Tríplice Fronteira. “É como se houvesse uma força-tarefa permanente, com o objetivo de prevenir e reprimir os crimes de fronteira. Por isso, a localização estratégica em Itaipu.”

De acordo com o ministro, a tendência para o futuro é que esses centros também contem com representantes de países que fazem fronteira com o Brasil: “A tendência, no futuro, é buscarmos também representantes dos países que fazem fronteira para atuarem no centro integrado.”

Além do ministro Sergio Moro, participaram da cerimônia de inauguração do centro integrado o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior; o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, e outras autoridades.

 

Fonte: http://www.ebc.com.br